Menu

  • Categorias
  • Imagem

    Cheirar a rolha do vinho? Certo ou errado? Saiba o que fazer ao abrir o seu vinho!

    escrito por Sommelier Vineshop

    | 31 de maio de 2020

    Parece que já faz parte do ritual de abertura de um vinho. Você saca a rolha, coloca na mesa e você mesmo ou alguém pega ela e cheira. Isso faz sentido ou não? Depende!

    Se foi para detectar alguns defeitos do vinho, sim faz sentido. Agora se for para ter uma ideia de como será o vinho antes de degustá-lo, não faz sentido cheirar a rolha.⠀

    O ato de degustar um vinho envolve várias etapas que você já deve ter ouvido falar em algum momento. São elas, a etapa visual, olfativa e por fim a gustativa. O ato de cheirar a rolha do vinho faz total sentido para os apreciadores de vinhos, mas para quem está desfrutando de um bom vinho é um ato natural. Por isso muitos acabam cheirando a rolha após a abertura de um vinho. 

    Os defeitos do vinho

    A rolha dá algumas pistas de como o vinho foi armazenado e se há alguma contaminação pela “Doença da Rolha” ou o TCA (Tri-cloroanizól) que é um subproduto de uma contaminação por um fungo que pode habitar a rolha e dará ao vinho um aroma de papelão molhado que pode estragar o vinho. Essa contaminação é muito discreta, mas dará ao vinho um sabor extremamente desagradável.

    Porém, atualmente, muitas técnicas modernas de assepsia nos processos de produção das rolhas eliminou esse problema e a sua chance de encontrar um vinho contaminado com “Doença da Rolha” é muito baixa. Há também outros sistemas de vedação do vinho como a screw cap, que a tampa de rosca.

    Esse tipo de vedação é muito popular em muitos países como na Austrália, Nova Zelândia, Africa do Sul e até na França. Nesse tipo de vedação você não encontrará nunca a “Doença da Rolha”.

    Rolha e o armazenamento do vinho

    A pista de como foi armazenado o vinho está na coloração da rolha naquela parte que ficou dentro da garrafa. Se ela estiver tingida significa que o vinho foi armazenado deitado e isso é importante para evitar a oxidação acelerada. Se foi um vinho branco, não estará tingida, mas úmida.

    Aqui vai uma dica importante, pois essa coloração na base da rolha vai lhe informar sobre a forma de armazenagem.

    Enfim, se você ou alguém pegar a rolha para cheirar não espere um cheiro diferente do “cheiro de rolha”. O TCA ( tri-cloroanizol) dificilmente será encontrado nos vinhos atuais, pois praticamente foi extinto com os processos de assepsia usados pelos fabricantes atuais.

    Mas o ato de pegar a rolha, avaliar o seu estado e por fim guardar ela, é um cuidado que marcará a sua experiência com certeza. 

    Fonte: Sommelier Vinhesop

    Posts Relacionados

    Deixe um Comentário

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Se cadastre aqui para aprender mais sobre todos os vinhos que você AMA!